“De cima do caminhão”: uma mirada mágica sobre a cultura baiana e suas muitas misturas

Rafael Sampaio Rosa

Resumo


O artigo pretende esboçar um exercício de compreensão da cultura baiana,
tal como é comumente assimilada (estando o discurso da baianidade
quase sempre calcado apenas na região metropolitana de Salvador e no
Recôncavo), e suas relações com as muitas misturas que a ensejaram e
tornaram-na distinta no conjunto brasileiro. Na conjugação dessas muitas
misturas, os termos mestiçagem, crioulização e sincretismo são sempre
evocados, provando sua utilidade, ainda que muitas vezes embaraçosa
quando de sua utilização conjunta. Ainda com o intuito de entendimento
desse discurso de baianidade, o termo hibridismo desponta como obrigatório,
principalmente a partir de um contexto mais globalizado e de
identidades em eterno trânsito, como o são, sobretudo, a partir de meados
do séc. XX. Dentro dessa perspectiva, o carnaval baiano cada vez mais
eletrificado e comercial, bem como o universo de suas canções, nos anima
e fornece pistas na persecução do imaginário traçado a respeito dessa
baianidade.

Texto completo:

Texto completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/univhum.v12i1.3327

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1984-9419 (impresso) - ISSN 2175-7488 (on-line)

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia