Utopia eleitoral: a experiência do PCB e de Carlos Marighella nas eleições de 1945 na Bahia

Ricardo Jose Sizilio

Resumo


Em 1945, após quinze anos no poder, Getúlio Vargas iniciou o processo de
redemocratização do Brasil, tentando conter as pressões de diversos segmentos
da sociedade que desejavam o fim do seu governo. Além de convocar as
eleições para o final do ano, anistiou os presos políticos encarcerados durante
a ditadura do Estado Novo. Com a abertura política, Carlos Marighella pode
concorrer, pela Bahia, ao pleito em dezembro de 1945, elegendo-se deputado
pelo Partido Comunista do Brasil (PCB). Pretendemos discutir neste artigo
os caminhos percorridos pelo PCB durante o processo eleitoral de 1945 na
Bahia. Através, principalmente, do jornal A Tarde e do periódico comunista
O Momento buscamos compreender quais as bandeiras levantas e disputas
travadas pelo PCB nessas eleições. Nos interessa neste trabalho, também, entender
como Carlos Marighella conseguiu, depois de dez anos longe do seu
estado natal, se tornar o único Deputado Federal comunista eleito pela Bahia.

Texto completo:

Texto completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/univhum.v12i1.3011

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1984-9419 (impresso) - ISSN 2175-7488 (on-line)

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia