Rigidez escultórica e busca de temática clássica: o rigor formal na poesia de Francisca Júlia

João Vicente Pereira Vicente

Resumo


Este estudo visa compreender o rigor formal e as relações plásticas na obra da poeta Francisca Júlia, considerada por muitos autores como “Musa impassível”, uma vez que seus poemas correspondiam ao auge da impassibilidade parnasiana. Procurou-se verificar em seus poemas a presença do lirismo e os limites do descritivismo plástico que deixaram também ver o fazer poético marcado pelo eu lírico, retomando elementos românticos e absorvendo sugestões simbolistas. Foram analisados poemas dos dois livros publicados pela autora: Mármores (1895) e Esphinges (1921). Os elementos formais e de conteúdo foram estudados visando a incrementar o entendimento não só da obra de Francisca Júlia, mas também o do Parnasianismo como movimento literário de grande repercussão no Brasil. Conclui-se que, ainda que fiel seguidora da escola parnasiana, a poeta apresenta em suas obras elementos de ruptura e continuidade com tendências da poesia lírica local e universal, eixo constitutivo do sistema literário brasileiro.

Texto completo:

Texto completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/univhum.v11i1.2936

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1984-9419 (impresso) - ISSN 2175-7488 (on-line)

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia