Estudo da aplicabilidade do ensaio de citotoxicidade por quantificação de proteínas totais na avaliação do potencial irritante ocular de tensoativos - doi: 10.5102/ucs.v7i1.806

Rodrigo Netto Costa, Clarice Lima Abreu Suomela, Rosaura de Farias Presgrave, Eloisa Nunes Alves, Anna Christina Rosa Guimarães, Isabella Fernandes Delgado

Resumo


A crescente tendência mundial pela substituição do uso de animais em experimentação promoveu a busca por métodos alternativos. Particular ênfase é dada ao desenvolvimento de métodos para substituir o tradicional Teste de Draize, utilizado para acessar a irritação ocular. Neste estudo, o ensaio de quantificação de proteínas totais em células SIRC e 3T3 utilizando o corante Azul Brilhante de Coomassie R-250 foi avaliado quanto ao seu valor em predizer o potencial de irritação ocular de cinco tensoativos. A concentração que induziu 50% de inibição do crescimento celular relativa aos controles (IC50) foi calculada para cada substância-teste. O modelo de citotoxicidade proposto apresentou boa capacidade de diferenciar tensoativos quanto ao seu potencial irritante, sobretudo quando conduzido com células SIRC. Apesar da necessidade de se testar um maior número de amostras e da realização de estudos inter-laboratoriais, esses resultados preliminares indicam que o ensaio de quantificação de proteínas totais com corante Azul Brilhante de Coomassie R-250, além de ser um método com características importantes (rapidez, sensibilidade, simplicidade de execução, baixo custo e alto grau de automação), é capaz de predizer o potencial de irritação ocular de tensoativos.

Palavras-chave


Teste de Draize, irritação ocular, métodos alternativos, tensoativos, SIRC, 3T3.

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/ucs.v7i1.806

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1678-5398 (impresso) - ISSN 1981-9730 (on-line) - e-mail: universitas.saude@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia