Lombalgia: revisão de conceitos e métodos de tratamentos - doi: 10.5102/ucs.v6i2.718

Renata Alice Miateli Pires, Flavia Ventura Ladeira Dumas

Resumo


Dores lombares são alterações músculos-esqueléticas mais comuns nas sociedades industrializadas e acometem entre 70% a 80,5% da população em ambos os sexos. As algias são decorrentes ao esforço requerido para atividades do trabalho e da vida diária. Sendo evidenciadas como sinais clínicos, a imobilidade e a deformidade antálgica para as quais, qualquer tentativa de movimento ativo ou passivo irá produzir a dor. Observou-se que em exercícios orientados (alongamento, caminhar, natação entre outros) há uma redução das dores lombares subagudas ou crônicas, além da melhora da disfunção física e psicológica e prevenção da recorrência. Outro item analisado é que o alongamento associado ao ultrassom proporciona uma redução rápida das algias. Logo, a lombalgia é uma das patologias mais estudadas na área médica em questão de estudo etiológica e sintomatologia clínica in vivo. Entretanto, esses estudos envolvem tratamentos conservadores, ou alternativos, invasivos com uso de medicamentosos. Isso, sendo pouco aproveitado no campo fisioterápico.

Palavras-chave


Lombalgia, alongamento, fisioterapia, ultra-som terapêutico e tratamentos.

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/ucs.v6i2.718

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1678-5398 (impresso) - ISSN 1981-9730 (on-line) - e-mail: universitas.saude@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia