A patologia como possibilidade estruturante do sujeito: uma releitura da questão phática - doi: 10.5102/ucs.v2i1.525

Tania Inessa Martins de Resende, José Carlos Castelo Branco Filho

Resumo


Como produto de estágio supervisionado em saúde mental, este trabalho traz uma reflexão sobre a questão da patologia por outro prisma que não o da doença. A partir da teoria psicanalítica e da psicopatologia existencialista, articulam-se os termos patologia, estrutura e existência, defendendo a idéia de que o pathos é inerente ao ser humano, estando ligado ao modo afetivo que cada indivíduo constrói para estar no mundo. Neste sentido, o delírio, por exemplo, é apresentado como resultado de uma tentativa de organização psíquica, como
efeito derivado da tentativa do sujeito de se defender de uma dor insuportável.

Palavras-chave


Pathos, psicopatologia, saúde mental, estruturação, existência

Texto completo:

Texto completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/ucs.v2i1.525

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1678-5398 (impresso) - ISSN 1981-9730 (on-line) - e-mail: universitas.saude@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia