Memória emocional: aplicação coletiva em universitários - doi: 10.5102/ucs.v2i1.520

Danilo Assis Pereira, Tatiane Kanzler Barbosa Nunes

Resumo


Este artigo buscou replicar a adaptação do teste de memória emocional de Frank e Tomaz (2000), verificando a viabilidade da aplicação coletiva em jovens. Participaram da pesquisa 63 universitários, com idade média de 23,3 anos. Os participantes foram divididos em dois grupos: E - emocional e N - neutro. Foram apresentados dois filmes, com 11 slides cada, sendo um com carga emocional e outro sem carga emocional. Na primeira etapa, os participantes pontuaram o quão emocional era considerado o filme apresentado. Na segunda etapa, realizada sete a dez dias depois, os participantes responderam um Teste de Reconhecimento de 65 itens para avaliar a recuperação da memória da estória apresentada. Os resultados foram similares ao de Cahill e McGaugh (1995) e de Frank e Tomaz (2000), mostrando uma diferença significativa para o slide 8, entre ambos os
grupos. Ainda, pôde-se fazer algumas sugestões para possíveis modificações ao Teste de Reconhecimento.

Palavras-chave


memória emocional, memória, processamento emocional, teste de reconhecimento

Texto completo:

Texto completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/ucs.v2i1.520

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1678-5398 (impresso) - ISSN 1981-9730 (on-line) - e-mail: universitas.saude@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia