A educação física como agente da prevenção e do tratamento do sobrepeso e obesidade infantil

Tiago Souza de Menezes, Renata Aparecida Elias Dantas

Resumo


Este estudo analisou se as aulas do professor contribui para prevenção da obesidade infantil e o Indíce de Massa Corporal (IMC) dos alunos. A amostra foi constituída por 44 crianças e um professor. Verificou-se o IMC para classificação da obesidade e aplicado um questionário para o professor para avaliar o conhecimento do mesmo sobre o assunto obesidade. Foram observadas aulas para verificar se o mesmo executava alguma ação para tratar o quadro de obesidade de seus alunos. 65,9% das crianças foram classificadas como eutróficas, enquanto 34,1% apresentavam sobrepeso ou obesidade. Não houve diferença entre meninos e meninas na massa corporal (p = 0,523), na estatura (p = 0,352) e no IMC (p = 0,897). O professor avaliado abordou que a intervenção feita por ele é apenas uma conscientização dos males causados pela obesidade. As intervenções realizadas pelo professor nas aulas não eram efetivas para combate ou prevenção da obesidade, devido à falta de aulas disponíveis para um trabalho dessa proporção.

Palavras-chave


Sobrepeso. Obesidade Infantil. Educação Física Escolar

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/ucs.v15i1.4279

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1678-5398 (impresso) - ISSN 1981-9730 (on-line) - e-mail: universitas.saude@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia