Vínculo e psicose: uma articulação entre a etnografia e a clínica psicoterapêutica - doi: 10.5102/ucs.v6i1.426

Luanna Barbosa, José Bizerril

Resumo


O vínculo é uma ferramenta importante não só na construção do processo psicoterapêutico, como na produção de pesquisa, aqui referente a uma etnografia realizada no Instituto de Saúde Mental da Secretaria de Estado da Saúde do Distrito Federal. A metodologia qualitativa ressalta o sentido do vínculo na relação entre pesquisador e pesquisado, que se acham envolvidos na pesquisa de modo qualitativamente semelhante (GONZÁLEZ REY, 2005a, 2005b). Ainda, o método etnográfico resgata da psicologia o conceito de vínculo (BIZERRIL, 2004), que, na clínica da psicose, foi salientado pela antipsiquiatria. O objetivo deste trabalho é discutir o vínculo com pacientes psicóticos, no imbricamento entre pesquisa e clínica psicoterapêutica, que se complementam como forma de compreensão do transtorno mental.

Palavras-chave


Vínculo; Vínculo etnográfico; Psicose; Anti-Psiquiatria; Reforma psiquiátrica

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/ucs.v6i1.426

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1678-5398 (impresso) - ISSN 1981-9730 (on-line) - e-mail: universitas.saude@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia