Sequências volumétricas por ressonância magnética em tumores da cabeça

Ronaldo Luiz do Santos, Bergman Nelson Sanchez Munhoz, Rafael Eidi Goto, Homero José de Farias e Melo, Leandro Nobeschi

Resumo


A aplicação das sequências de volumétricas por Ressonância Magnética – VIBE (Volume Interpolated Breath Hold Examination) são utilizadas para verificação do estadiamento de tumores da cabeça, e demonstram ser o melhor método nesses casos devido ao menor tempo de aquisição. Este artigo visa elucidar a aplicação e a relevância das sequências de volumétricas por meio de uma revisão da literatura, analisando a aquisição por meio do método VIBE, apurando as vantagens com relação ao T1 volumétrico e as demais sequências, T2, Fast Spin Eco e Spin Eco, pós-contraste com relação ao tempo. O exame VIBE equivale a um mecanismo relativamente novo de sequência RM gradiente-eco, sendo capaz de encurtar tempos de aquisição. Para esta hipótese, demonstra-se ser de grande valia em imaginologia do cérebro, como um substituto para imagens pesadas em T1 spin-eco pós-contraste convencional na avaliação dos tumores da cabeça.

Palavras-chave


ressonância magnética; tumores; sequência volumétrica; constraste

Texto completo:

Texto completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/ucs.v15i2.4178

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1678-5398 (impresso) - ISSN 1981-9730 (on-line) - e-mail: universitas.saude@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia