Conhecimento de graduandos em enfermagem sobre Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) - doi: 105102/ucs.v14i1.3534

Maria Aparecida Mendes da Silva, Linconl Agudo Oliveira Benito

Resumo


Trabalhos existentes mostram que os DA (Deficiente Auditivo), relatam insatisfação com o atendimento de saúde em função da falta de profissionais habilitados em LIBRAS. O objetivo desse estudo foi analisar o conhecimento dos graduandos de enfermagem do UNICEUB, sobre LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), que é a linguagem usada pelos deficientes auditivos para se comunicar. Para isso foram aplicados 67 questionários aos estudantes de enfermagem. Os resultados mostraram maiores números do gênero feminino, idade entre 18 e 20 anos, maioria brasiliense, solteira, e do 1º semestre. Nesse grupo (94%) sabem o que é LIBRAS, mas não saberiam se comunicar com os deficientes auditivos (90%), tendo interesse em aprender LIBRAS (92%). Observou que os estudantes percebem a importância da disciplina para a atividade profissional, ressaltam que o profissional atualmente não está preparado para atender esses pacientes, dando ainda mais relevância para a inclusão dessa matéria como obrigatória nas grades curriculares dos cursos.

Palavras-chave


Pessoas com deficiência auditiva; Comunicação; Linguagem de Sinais; Surdez; Percepção auditiva.

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/ucs.v14i1.3534

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1678-5398 (impresso) - ISSN 1981-9730 (on-line) - e-mail: universitas.saude@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia