Plantas geneticamente modificadas com toxinas de Bacillus thuringiensis: uma ferramenta para conferir resistência contra insetos praga - doi: 10.5102/ucs.v12i2.2806

Leidiane Eulália Chaves da Costa, Érica Soares Martins

Resumo


O uso constante de agroquímicos em lavouras garante o desenvolvimento das plantas livre do ataque de pragas, porém os efeitos maléficos ambientais constitui motivo para se buscar novos métodos que possam suprir a demanda. Estudos que visam ao desenvolvimento sustentável, especificadamente na área de engenharia genética de plantas, permitem a seleção e inserção de genes que expressão proteínas capazes de conferir resistência a insetos-praga. O estudo relatado neste artigo tem por objetivo realizar o levantamento de eventos geneticamente modificados com toxinas de B. thuringiensis liberados para uso comercial no Brasil nos últimos dez anos e avaliar os impactos e riscos desses eventos, bem como construir instrumentos para divulgação e esclarecimento da população sobre o uso dessa tecnologia. Este artigo fundamentou-se na revisão de literatura acerca de cultivares transgênicas, que expressam genes inseticidas liberadas comercialmente no Brasil, levando-se em consideração os últimos 10 anos, até o período atual.

Palavras-chave


plantas inseticidas, gene cry, proteínas Cry, proteínas inseticidas e Bacillus thuringiensis

Texto completo:

Texto completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/ucs.v12i2.2806

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1678-5398 (impresso) - ISSN 1981-9730 (on-line) - e-mail: universitas.saude@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia