Efeitos da crochetagem no pós-operatório tardio de reconstrução dos tendões extensores do carpo: estudo de caso - doi: 10.512/ucs.v11i2.2319

Katiúscia Fiúza, Wagner Rodrigues Martins, Juscelino Castro

Resumo


A flexibilidade é algo tão inerente ao ser humano quanto o próprio movimento, sendo essencial nos desempenhos pessoais. Entre os métodos indicados para tratamento de flexibilidade em tecidos moles com perda de mobilidade, encontra-se a Crochetagem (CRO). O objetivo foi avaliar, por meio de um estudo de caso, os efeitos da CRO no pós-operatório tardio de um indivíduo do sexo feminino, que sofreu ruptura dos tendões extensores: ulnar do carpo, comum e próprio do quinto dedo no membro superior esquerdo após lesão com objeto cortante. Foram realizadas 12 sessões, sendo realizada a goniometria do punho pré e pós-intervenção (PRÉ e PÓS). Os valores médios após as sessões de CRO em punho esquerdo foram de 2,3° nas medidas (PRÉ) e 10,3° nas medidas (PÓS), ganho absoluto de (6°), (7%). Nos parâmetros de estado clínico, os resultados obtidos foram benéficos na amplitude de movimento (ADM) em flexão de punho.

Palavras-chave


Fisioterapia; Crochetagem; Tendões

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/ucs.v11i2.2319

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1678-5398 (impresso) - ISSN 1981-9730 (on-line) - e-mail: universitas.saude@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia