Reabilitação fisioterapêutica ambulatorial pós fratura distal de rádio: proposta de protocolo em estudo de caso - doi: 10.512/ucs.v11i2.2298

Andreza Luiza de Almeida, Jenny Tsai, Valeria Sovat de Freitas Costa

Resumo


A fratura de rádio distal é caracterizada pela perda da continuidade óssea e é frequentemente ocasionada devido a quedas sobre as mãos. Pode ocorrer em qualquer idade e pode provocar mudanças nas atividades cotidianas dos sujeitos acometidos. Esse trabalho teve como objetivo avaliar a eficácia de protocolo de tratamento fisioterapêutico em paciente com fratura distal de rádio. Trata-se de um estudo de caso, com uma mulher de 51 anos de idade, com fratura distal de rádio esquerdo, submetida a 20 sessões de fisioterapia por meio da cinesioterapia como forma de reabilitação. A fisioterapia dispõe de recursos e procedimentos terapêuticos específicos como a cinesioterapia, com propósito de recuperar a atividade física funcional e ocupacional com obtenção de melhorar a qualidade de vida do paciente. Foi observado ganho na amplitude de movimento do antebraço esquerdo, comprovando que o tratamento permite retorno às atividades da vida diária, especialmente quando o paciente necessita muito do membro afetado.

Palavras-chave


Reabilitação Ambulatorial; Cinesioterapia;Fratura distal de rádio

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/ucs.v11i2.2298

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1678-5398 (impresso) - ISSN 1981-9730 (on-line) - e-mail: universitas.saude@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia