Acessibilidade de cadeirantes em clínicas de fisioterapia do Plano Piloto de Brasília – DF - doi: 10.5102/ucs.v4i1.20

Larissa Sales Brito, Márcia Corrêa Matos, Marinha Tereza Alves Nascimento, Denise Ribeiro Rabelo da Silva

Resumo


Este estudo visa avaliar as condições de acesso e utilização de clínicas de fisioterapia do Plano Piloto de Brasília, por pessoas que fazem uso de cadeira de rodas para locomoção. Foram visitadas quarenta clínicas particulares de fisioterapia durante os meses de setembro e outubro de 2006, a fim de avaliar condições e medidas de vagas para veículos, rampas, elevadores sociais, portas de acesso principal, áreas de circulação interna e sanitários, confrontando-as com a norma NBR 9050:2004 da ABNT. Nenhuma clínica apresentou completa condição de acesso em todos os itens; no sanitário, as características estavam menos adequadas. Apesar da existência da legislação e das normas em vigor, há barreiras arquitetônicas que impedem os portadores de deficiência física de exercer a plena cidadania. É necessária maior conscientização da sociedade e fiscalização efetiva para garantir a inclusão social.

Palavras-chave


Acessibilidade; Barreiras arquitetônicas; Deficiência

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/ucs.v4i1.20

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1678-5398 (impresso) - ISSN 1981-9730 (on-line) - e-mail: universitas.saude@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia