Púrpura trombocitopênica trombótica: dois relatos de casos - doi: 10.5102/ucs.v11i1.1933

Lilian Carneiro dos Anjos, Maíra de Azevedo Feitosa Araujo, Milton Rego de Paula Junior

Resumo


A púrpura trombocitopênica trombótica (PTT) é uma doença rara e fatal que deve ser diagnosticada e tratada rapidamente, para que a melhor resposta terapêutica seja obtida. Estudos recentes indicam que o prognóstico é favoravelmente influenciado pela terapia com plasmaférese, o que reduz a mortalidade de 90 para 20%. No presente estudo, foram avaliados dois casos. No primeiro caso, após oito sessões de plasmaférese, houve melhora no quadro. A plasmaférese com reposição de plasma pobre em crioprecipitado, em associação ao tratamento padrão, foi uma estratégia eficaz no tratamento; e hoje, a paciente encontra-se em remissão completa. No segundo caso, no quarto dia, após o início do tratamento, a paciente evoluiu com quadro neurológico (acidente vascular cerebral) vindo a óbito. Se não for tratada, a PTT é quase sempre fatal; com tratamento, mais da metade dos indivíduos sobrevive. Embora possa ocorrer como um único episódio isolado, os indivíduos que apresentaram esse distúrbio devem ser monitorados com exames de sangue e exames físicos durante vários anos, uma vez que, recaídas súbitas, que exigem tratamento, não são incomuns.

Palavras-chave


Púrpura trombocitopênica trombótica. Plasmaférese. Tratamento. Óbito.

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/ucs.v11i1.1933

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1678-5398 (impresso) - ISSN 1981-9730 (on-line) - e-mail: universitas.saude@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia