Fisioterapia e neuroplasticidade após acidente vascular encefálico: uma revisão da literatura - doi: 10.5102/ucs.v10i1.1513

Pâmella Carneiro Cruz, Levy Aniceto Santana, Flávia Ladeira Dumas

Resumo


O tratamento fisioterapêutico por meio de estimulação sensorial e motora pode colaborar na redução da morbidade pelo Acidente Vascular Encefálico mediante mudanças corticais após a lesão. O objetivo deste estudo é apresentar uma revisão da literatura sobre a influência da fisioterapia na neuroplasticidade. Para tal, realizou-se uma busca de ensaios clínicos aleatórios de alta qualidade metodológica em 10 bases de dados digitais: BIREME, IBECS, SCIELO, HIGH WIRE, PubMed, MEDLINE, EMBASE, COCHRANE, EBSCO e LILACS. Foram selecionados 15 artigos e a análise evidenciou que as diversas intervenções fisioterapêuticas proporcionaram melhoria na organização cortical acompanhada do aproveitamento funcional.

Palavras-chave


Plasticidade neuronal; Modalidades de Fisioterapia; Acidente Cerebral Vascular; Acidente Vascular Encefálico.

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/ucs.v10i1.1513

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1678-5398 (impresso) - ISSN 1981-9730 (on-line) - e-mail: universitas.saude@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia