O conhecimento de métodos contraceptivos entre universitárias de enfermagem - doi: 10.5102/ucs.v7i2.1008

Valdecila Luiza Lacerda, Maria de Lourdes Pereira, Susana da Silva Martins, Geisa Sant'Ana

Resumo


Vários estudos apontam que o nível de escolaridade é fator que diferencia os comportamentos sexuais e reprodutivos. O uso adequado dos métodos contraceptivos faz-se necessário, evitando gravidez indesejada e/ou DSTs. Foi realizado um estudo de corte transversal, com abordagem quantitativa, onde os dados foram coletados através de um questionário auto-aplicado. A amostra foi composta por 100 universitárias com idade média de 26 anos. Grande parte delas afirmaram ter conhecimento de algum método contraceptivo. Distorções foram identificadas quanto a seu uso. Verificou-se que o conhecimento afirmado entre as universitárias parece não estabelecer relação coerente com o auto-cuidado necessário para um comportamento contraceptivo planejado e seguro. Constatou-se, portanto, a necessidade de estratégias que orientem melhor estas universitárias de Enfermagem que irão compor o quadro de futuros profissionais de saúde.

Palavras-chave


Contracepção. Escolaridade. Comportamento

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/ucs.v7i2.1008

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1678-5398 (impresso) - ISSN 1981-9730 (on-line) - e-mail: universitas.saude@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia